Bolo de Banana com Azeite e Cobertura de Iogurte e Mel


Inicialmente ia fazer o bolo um bolo de cenoura para o Zé levar para a escola. Mas o meu filho decidiu sobrepor-se à minha ideia, e andou dois dias a dizer que queria levar para a escola um bolo de banana com framboesas e mirtilos por cima. Sendo ele o aniversariante, decidi fazer-lhe a vontade.
A receita do bolo de banana, não é nova aqui no blogue, e é uma adaptação de uma receita da Donna Hay. A cobertura de iogurte é uma das novas favoritas aqui em casa, e a decoração foi mais uma das sugestões do meu rapazinho.
Como tive imensos pedidos para partilhar a receita do bolo, aqui fica a receita tal e qual a fiz.
Espero que gostem. O Zé Maria adorou, e disse que o bolo estava muito bom, e sei que também foi bastante apreciado por alguns meninos e educadoras. Mas neste dia, além da intenção, o que realmente contou foi a opinião do Zé.

Ingredientes bolo:
(adaptado de “The new easy” Donna Hay, página 148)

4 bananas médias e maduras
125ml de azeite de sabor suave
3 ovos
250g de açúcar amarelo
1 colher de chá de pasta de baunilha
225g de farinha com fermento
1 colher de chá de canela em pó

Ingredientes Cobertura:

150g de iogurte grego natural
2 colheres de sopa de mel
1 colher de chá de pasta de baunilha
250g de framboesas e mirtilos

Preparação:

Descasque e esmague as bananas com um garfo. Junte depois o azeite, os ovos, o açúcar e a baunilha e misture bem até estar combinado. Junte depois a farinha e a canela e volte a misturar até estudo estar bem combinado.
Verta a mistura para um tabuleiro retangular (35x15cm) previamente forrado com papel vegetal. Deixe cozinhar cerca de 35 minutos em forno previamente aquecido a180ºC, e deixe depois arrefecer cerca de 5 minutos dentro da forma antes de desenformar e deixar arrefecer sobre uma grelha.
Entretanto prepare a cobertura de iogurte misturando bem todos os ingredientes.
Depois de completamente frio, coloque o bolo no prato de servir e cubra com a cobertura de iogurte. Por cima disponha as framboesas e mirtilos e decore a gosto com velas e bandeirolas.


Bom Apetite!

Carne de Vaca Assada com Tubérculos de Outono


Estamos no Outono. Notam-se tão bem os dias já mais pequenos. E, apesar da instabilidade do tempo, umas noites e manhãs mais frescas e até já chuviscou no início da semana.
Já me sabe bem um casaquinho fino em alguns dias de manhã, e um pijama que não seja um top de alças e uns calções (mas isso sou eu que sempre fui friorenta).
E a acompanhar esta mudança de estação, começa-se também a notar o mesmo nas ofertas da época de frutas e legumes. No meu cabaz os tomates já nos disseram adeus, e a abóbora, as uvas e a batata doce começam a vir todas as semanas com regularidade. 
Talvez essa “nostalgia” dos tons castanhos e ocres de outono, talvez as folhas das árvores, as abóboras, os marmelos, as vindimas e o mês de Outubro quase aí a chegar me tenham dado uma inspiração extra para um assado de domingo com cheio de dias mais frescos.
Uma carne de vaca deliciosa, assada no forno, na companhia de tubérculos coloridos e numa enorme simplicidade.
Para nós foi um delicioso almoço.

Ingredientes para 4 pessoas (com sobras):

1,2 kg de carne de vaca para assar (usei 2 peças inteiras)
2 batatas doce laranja
2 batatas doce roxa
2 cebolas roxas não muito grandes
2 cenouras
1 pernada de alecrim
1 cabeça de alho
sal e pimenta q.b.
azeite q.b.

Preparação:

Coloque a carne de vaca num tabuleiro ou pirex que possa ir ao forno e à mesa. Por baixo da carne coloque o alecrim e tempere depois com sal, pimenta e um fio de azeite.
Descasque depois as batatas, cenouras e as cebolas. Corte as batatas em rodelas grossas, as cenouras em pedaços, e a cebola aos quartos. Coloque tudo numa taça e junte a cabeça de alho cortada ao meio, e tempere de sal, pimenta e com azeite.
Coloque tudo À volta da carne no tabuleiro e tape com papel de alumínio.
Leve ao forno previamente aquecido a 160ºC durante cerca de 1h30. Ao fim desse tempo retire o papel de alumínio e deixe tostar um pouco.
Retire do forno e deixe a carne repousar algum tempo antes de a cortar em fatias e a voltar a colocar no tabuleiro.
Sirva com feijão verde cozido. 


Bom Apetite!

Arroz de Forno com Peru e Ervilhas


São poucas as coisas que eu não congelo. Desde sobras de claras, queijos, tomate maduro de verão para refogados no inverno, abóbora em cubos, folhas de wraps ou crepes, enchidos, pão, bolos, e quase todas as sobras que eu sei que não vamos consumir em “tempo útil” e que eu não quero deixar estragar.
Na semana em que fiz umas perninhas de peru para o jantar, eu já sabia que ia sobra. E foi mesmo com esse intuito que, assim que acabamos de jantar, desfiei a carne que sobrou e a congelei de imediato. Sabia que haveria de servir para uma outra refeição.
O mesmo se passou com umas sobras de umas ervilhas - que tinham sido um jantar de ervilhas e ovos escalfados - mas que entretanto só tinha sobrado uma chávena de ervilhas. Também foram parar ao congelador.
E depois, ao preparar a ementa semanal de uma das semanas seguinte as ervilhas e o peru lá saíram do congelador, para fazerem par e se transformarem num novo jantar.
Saiu então um arroz de forno com peru e ervilhas.

Ingredientes para 4 pessoas:

500g de carne de peru desfiada com um pouco de molho (sobras de peru assado que tinha congelada)
150g de ervilhas (usei também sobras de ervilhas preparadas com uns ovos escalfados e que sobraram e eu congelei)
1 cebola pequena
1 chávena de arroz carolino
2,5 chávenas de água a ferver
sal e pimenta q.b.
1 folha de louro
azeite q.b.

Preparação:

Pique a cebola e leve-a a refogar num pouco de azeite juntamente com a folha de louro. Quando a cebola começar a querer ficar dourada, acrescente o peru com o molho e as ervilhas e envolva bem, deixando cozinhar uns minutos para apurar.
Coloque depois a mistura de peru e ervilhas num tabuleiro ou pirex que vá ao forno e à mesa e acrescente a chávena de arroz envolvendo bem. Junte depois a água a ferver, temperada com um bocadinho de sal e pimenta, mexendo tudo dentro do pirex. Prove e se necessário retifique os temperos. Envolva no arroz e tape bem com papel de alumínio.
Leve ao forno previamente aquecido a 180ºC e deixe cozinhar cerca de 45 minutos até o arroz ter absorvido toda a água e estar cozinhado. Retire depois o papel de alumínio e deixe secar e tostar um pouco.
Sirva acompanhado de uma salada.


Bom Apetite!

Empadão de Pescada com Espinafres


Já vos falei a semana passada da “peixinho da lota”, (www.peixinhodalota.pt) e do meu primeiro cabaz, onde vinham umas pescadinhas. Com umas delas fiz uns tacos de peixe, e com as restantes, cozi e desfiei para fazer um empadão - já que pescada cozida nunca é bem vinda cá em casa (mas os miúdos gostam).
E fiz um empadão com batata doce em vez da batata normal, apesar de poderem usar as batatas da vossa preferência. Tenho usado imenso batata doce por vários motivos - primeiro porque tanto nós como os miúdos gostamos imenso, depois porque vêm quase sempre no nosso cabaz de hortícolas, e porque eu, como potencial candidata a voltar a ter diabetes gestacional (tive das outras duas gravidezes e, apesar de não ter (ainda) desta, não quer dizer que não possa vir a ter),  fui aconselhada a fazer a substituição pela equipa médica que me acompanha. Quanto ao uso de  leite de coco em vez de leite normal para fazer o puré de batata doce, não sei se alguma vez experimentaram, mas é uma combinação que fica deliciosa, pois o leite de coco acentua o sabor doce da batata e nós gostamos muito do contraste. Mas claro que podem usar a combinação de puré de batata mais tradicional que fica igualmente saboroso!



Ingredientes para 3 pessoas:

300g de espinafres congelados
400g de postas de pescada
2 batatas doce grandes (podem usar batata normal)
2 dentes de alho
1 cebola pequena
1/3 lata de leite de coco (ou um pouco mais se necessário até o puré ter a consistência desejada)
sal, pimenta e noz moscada q.b.
azeite q.b.
1 ovo batido

Preparação:

Leve um tacho ao lume com água temperada de sal e assim que levantar fervura junte as postas de pescada deixando cozinhar.
Entretanto descasque as batatas e corte-as em pedaços e leve-as também a cozer.
Descasque os dentes de alho e coloque num tacho juntamente com um pouco de azeite. Quando começar a querer fritar junte os espinafres congelados e deixe descongelar e cozinhar ao mesmo tempo até que estejam no ponto. Tempere com um pouco de sal.
Entretanto retire a pescada  - guarde um pouco de caldo de cozedura da mesma - e limpe de peles e espinhas. Reserve.
Leve um tacho ao lume com um pouco de azeite e junte a cebola previamente picada e deixe refogar um pouco. Junte depois a pescada e envolva bem. Retifique de sal, pimenta e junte um pouco de noz moscada e água da cozedura da pescada para que não fique muito seco. Reserve.
Assim que as batatas estiverem cozidas escorra-as bem e esmague-as depois com um utensílio próprio. Junte depois o leite de coco e mexa bem. Retifique os temperos.
Monte depois o empadão: Por baixo coloque os espinafres e por cima destes disponha a pescada. Cubra tudo com o puré de batata doce.
Bata o ovo e coloque por cima do puré de modo a formar uma capa crocante. Leve depois ao forno previamente aquecido a 180ºC com grill até que a capa de ovo fique dourada.
Sirva de imediato!


Bom Apetite!

4 anos de Zé Maria e um Bolo de Cenoura Delicioso



O Zé Maria já faz 4 anos. E hoje, pela primeira vez, o meu rapazinho cada vez mais crescido, vai cantar os parabéns com os amigos da escola. 
O meu rapazinho que está cada vez mais independente, que todos os dias descobre coisas novas, que é um tagarela como a mãe, que gosta muito de livros, de brincar com legos e playmobil e de carros. 
Portanto hoje é dia de festa! Um dia que recorda o 18 de Setembro de 2013 em que o vimos pela primeira vez, e em que, depois de tudo tivemos o nosso sonho realizado. 
E todos os dias contigo com o Zé Maria são uma descoberta. São uma conquista. Vamos cometendo erros, vamos seguindo o nosso instinto, e umas vezes fazemos melhor do que outras... E todos os dias vamos aprendendo a ser pais. 
E como é dia de festa, não pode deixar de haver um bolo para cantar os parabéns, mais logo com os avós, os tios e os primos (que a festa é só no domingo, juntamente com o mano que faz 2 anos!)
E assim, aqui fica o teu bolo dos 4 anos. Parabéns meu primeiro amor pequenino.

Ingredientes:

3 ovos
2 cenouras cruas 
2 chávenas de chá de farinha de trigo
1 chávena de chá de açúcar amarelo
1 chávena de chá de azeite
1 colher de sobremesa de fermento em pó 
1 colher de chá de canela

Cobertura:
100g de chocolate com 75% cacau
1 colher de sopa de manteiga
2 colheres de sopa de leite

Preparação:

Coloque as cenouras, o azeite e os ovos no liquidificador ou robot de cozinha até ficar com uma mistura líquida e homogénea. Coloque esta mistura numa taça e adicione o açúcar, mexa muito bem. Junte a farinha e a canela e volte a mexer muito bem, por fim junte o fermento. 
Coloque a massa numa forma previamente untada e polvilhada. Leve a cozer ao forno pré aquecido a 180º C durante cerca de 30 minutos ou até o bolo estar cozinhado.
Retire e deixe arrefecer completamente.
Para a cobertura leve ao lume o chocolate com a manteiga e o leite de deixe derreter e engrossar. Cubra o bolo com a mistura.
Decore a gosto.



Bom Apetite!

Tacos de Peixe com Picado de Tomate e Ananás


Gosto muito de pessoas empreendedoras que colocam em andamento os seus projetos e ideias e muitas vezes sonhos. E gosto ainda mais quando são ideias boas e com qualidade. 
Fiquei muito satisfeita com o “peixinho da lota”. Peixe fresco e de mar, limpo e amanhado, devidamente embalado e entregue em casa. Cabazes de 3 ou de 5 kg, consoante o tamanho do agregado familiar, com pelo menos 3 espécies de peixe, entregue apenas (pelo menos por enquanto) em Coimbra e na Figueira da Foz. E fico feliz por ser um projeto nascido em Coimbra, pela mão de uma pessoa minha conhecida. E fico também feliz por poder ajudar a divulgar algo em que também acredito, que gosto e que consumo.
Principalmente porque estou cada vez mais rendida a estes pequenos mercados de produtores/empresas, que entregam diretamente em casa produtos de qualidade, sem intermediários onde sabemos de onde vem, que foi colhido e pescado ou morto (que me perdoem os vegans e vegetarianos) no dia ou nas vésperas da entrega. Que se preocupam realmente com o cliente e com as suas preferências. Seja agora o peixe fresco, o meu cabaz semanal de produtos biológicos ou a maravilhosa carne marinhoa.
Agora descobri o “peixinho da lota” e tenho a certeza que será mais uma das entregas a ser feitas com regularidade cá em casa. Se quiserem experimentar ou saber mais vão até www.peixinhodalota.pt.
Com a pescada que veio no meu primeiro cabaz (onde também havia choupas e fanecas), saíram, para começar, uns tacos de peixe fantásticos. Porque cá em casa a pescada é consumida de muitas formas mas nunca cozida - porque eu não gosto mesmo nada de pescada cozida!

E não se esqueçam do workshop no Porto, já amanhã! Nos Workshops Pop Up, na Rua do Almada, dia 16 de Setembro, Sábado, pelas 15h, e com o tema “Receitas Rápidas e Fáceis para Jantares em Família”. Para mais informações e inscrições: info@workshops-popup.com.

Ingredientes para 2 pessoas:
(inspirado numa receita da Joana Moura em : http://www.jocooking.com/tacos-de-peixe/#more-1947)

4 tortilhas ou wraps pequenos (podem usar de compra ou fazer as vossas próprias tortilhas ou wraps - eu usei tortilhas de mandioca que fiz com cerca de 12cm de diametro)
300g de filetes de pescada 
sumo de limão q.b.
sal e pimenta q.b.
ovo batido
pão ralado ou farinha de mandioca para panar

Para o Picado de Tomate e Ananás:
1 tomate médio maduro
1 fatia de ananás
1/2 cebola pequena
sumo de limão q.b.
sal q.b.
azeite q.b.

Maionese para servir (usei caseira)

Preparação:

Comece por temperar os filetes de pescada (pode usar outro peixe branco a gosto) com sal, pimenta e sumo de limão. Deixe marinar.
Entretanto prepare o picado de tomate e ananás. Lave bem o tomate e corte-o em cubinhos pequenos. Retire a casca ao ananás e corte em cubinhos do mesmo tamanho. Pique finamente a cebola e junte tudo numa taça, misturando bem. Tempere com um pouco de sal, azeite e sumo de limão. Reserve.
Faça depois os panadinhos de peixe. Corte os filetes em pedaços mais pequenos e passe-os depois pelo ovo batido e finalmente pelo pão ralado ou farinha de mandioca. Leve a fritar em azeite quente - em alternativa poderá fazer no forno. Deixe fritar até ficarem dourados e escorra em papel absorvente.
Aqueça as tortilhas ou wraps numa frigideira quente.
Sirva os tacos, colocando um pouco de peixe em cada tortilha, seguido do picadinho de tomate e ananás e termine com um pouco de maionese caseira.


Bom Apetite!

Coxas de Frango Assadas com Alho Francês, Pimento e Tomilho Limão


Gosto muito de cozinhar com coxas de frango. Ficam sempre deliciosas e suculentas e são óptimas para assar, para grelhar e até para estufar. Até os miúdos gostam mais porque não se “embrulham” na boca como tantas vezes acontece com o peito do frango.
Entram por isso várias vezes nas nossas ementas, com dezenas de combinações, muitas delas sujeitas ao que há no frigorífico. Foi o que aconteceu desta vez. No meu hábito de não desperdiçar nada, e de fazer uma gestão consciente de tudo o que tenho em casa, havia pimento vermelho e alho francês a necessitarem de ser consumidos, pelo que as coxas de frango tiveram a sua companhia no forno, a par com um pouco de tomilho limão, que cresce e bem no nosso jardim. Mais uma vez tudo numa travessa só e basta colocar no forno, sem mais confusões e sem ser necessário nada de muito especial para os jantares da semana. E sem dúvida que neste campo o forno é o meu maior aliado! Não saberia viver sem ele!

E não se esqueçam do workshop no Porto, já esta sábado! . Nos Workshops Pop Up, na Rua do Almada, dia 16 de Setembro, Sábado, pelas 15h, e com o tema “Receitas Rápidas e Fáceis para Jantares em Família”. Para mais informações e inscrições: info@workshops-popup.com.


Ingredientes para 4 pessoas:

6 coxas de frango
1/2 pimento vermelho
2 alhos franceses pequenos
sal e pimenta q.b.
2 pernadas de tomilho limão
azeite q.b.

Preparação:

Coloque as coxas de frango - com a pele para não secarem - num tabuleiro que vá ao forno e tempere com sal e pimenta. Corte depois o pimento em cubinhos e junte-o às coxas de frango.
Corte o alho francês em rodelas finas e lave bem, juntando também ao frango. Regue com um fio de azeite e acrescente o tomilho limão. Tape depois com papel de alumínio e leve ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 45 minutos. Ao fim desse tempo retire o papel de alumínio e deixe cozinhar mais um pouco de modo a que a pele das coxas fique tostada.
Sirva com feijão verde cozido e batatas assadas no forno às rodelas - que poderá cozinhar ao mesmo tempo que o frango num tabuleiro separado.


Bom Apetite!

Bolo de Iogurte, Limão e Baunilha com Cobertura de Iogurte


O bolo de fim de semana que acabou por não ser feito no fim de semana, naquelas “alterações” de planos que nos fazem começar outra coisa qualquer, típico de quem está em casa e encontra sempre algo para fazer....
O António estava na sesta de depois de almoço e o Zé Maria a brincar, quando achei que era a hora ideal para ir para a cozinha fazer um bolo. No momento em que entro na cozinha, o Zé Maria vem atrás de mim a perguntar pelo pai que estava no andar de baixo. Vou com ele para baixo e descubro o Miguel a começar a organizar e arrumar o nosso armário da lavandaria. Um armário de “tralha”, que há muito que estava a necessitar de uma intervenção, mas que íamos adiando. Ora o bolo ficou sem efeito, porque acabei por me dedicar também a essa tarefa que acabou por demorar quase o resto da tarde...
Mas a ideia do bolo ficou, e foi só aproveitar o forno quente do jantar de segunda feira para colocar em prática o que tinha ficado pendente.
E assim saiu um bolo rápido e simples para ir comendo aos bocadinhos durante a semana.

E não se esqueçam do workshop no Porto, já esta sábado! . Nos Workshops Pop Up, na Rua do Almada, dia 16 de Setembro, Sábado, pelas 15h, e com o tema “Receitas Rápidas e Fáceis para Jantares em Família”. Para mais informações e inscrições: info@workshops-popup.com.

Ingredientes:

1 copo de iogurte natural (125g)
50ml de sumo de limão
1 colher de chá de pasta de baunilha (ou extrato de baunilha)
4 ovos
1 colher de chá de fermento em pó
3 copos (do iogurte) de farinha 
2 copos (do iogurte) de açúcar
1/2 copo (do iogurte) de óleo - usei óleo de coco, mas podem usar qq outro óleo vegetal ou manteiga amolecida

Cobertura de Iogurte:

100g de iogurte grego natural
1 colher de chá de pasta de baunilha
2 colheres de sopa de açúcar em pó


Preparação:

Coloque no copo liquidificador (ou no robot de cozinha) os ovos, o sumo de limão, o iogurte, a pasta de baunilha, o açúcar, a farinha, o fermento e o óleo e misture numa velocidade baixa  até obter uma mistura lisa e homogénea.
Coloque a mistura numa forma com buraco, previamente untada e polvilhada e leve ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 45 minutos ou até o bolo estar cozinhado. Retire, e deixe arrefecer uns minutos antes de desenformar.
Entretanto prepare a cobertura de iogurte, misturando todos os ingredientes.
Depois de completamente arrefecido cubra o bolo com a cobertura de iogurte e, se gostar, coloque uns frutos vermelhos.


Bom Apetite!

Rissois de Peixe com Legumes


Lembram-se da receita de pregado da semana passada? Ora sobrou uma posta de peixe, que eu desfiei e congelei logo, para usar depois em qualquer outra receita (como fácil habitualmente).
A preparar as refeições de fim de semana, tirei a caixinha onde estava o peixe, sem saber muito bem o que fazer.. Tinha pensado em crepes, apesar de não estar propriamente “convencida”. E de repente surgiu-me a ideia ideal. Ia fazer rissois, que já não fazia há imenso tempo.
E assim foi! E com uma posta de peixe e mais umas coisas lá saíram 15 rissois deliciosos!
Nunca fizeram rissois em casa? Nem sabem o que estão a perder. São muito mais simples de preparar e menos trabalhosos do que aquilo que podemos pensar (a não ser que estejamos a fazer centenas deles, e assim parece que nunca mais acaba....). E a massa, que assusta tanta gente é muito simples e não tem nada que enganar. Espero sinceramente motivar-vos para que se aventurem em casa e que descubram a “terapia” que fazer rissois e a cozinha em geral pode ter em nós!

E não se esqueçam do workshop no Porto, já esta sábado! . Nos Workshops Pop Up, na Rua do Almada, dia 16 de Setembro, Sábado, pelas 15h, e com o tema “Receitas Rápidas e Fáceis para Jantares em Família”. Para mais informações e inscrições: info@workshops-popup.com.

Ingredientes para cerca de 15 rissois:

Massa:
1 chávena (com capacidade de 225ml) de água
sal q.b.
2 colheres de sopa de azeite
1 chávena (com capacidade de 225ml) de farinha de trigo sem fermento

Recheio:
1 tacinha com restos de peixe previamente limpo de peles e espinhas
1/2 cebola
1 tomate maduro pequeno
1 alho francês pequeno
sal e pimenta q.b.
noz moscada q.b.
azeite q.b.
1 colher de sopa de farinha
125ml de leite

Para Panar:
1 ovo batido
pão ralado q.b.

Preparação:

Comece pelo recheio. Pique finamente a cebola e leve-a ao lume num tacho juntamente com um pouco de azeite e deixe refogar. Acrescente depois o tomate também bem picado (ou triturado), e o alho francês em rodelas finas. Tempere com um pouco de sal e deixe estufar um pouco. Junte depois o peixe, envolva bem e por fim polvilhe com a farinha envolvendo bem. Acrescente o leite e deixe engrossar. Tempere depois a gosto com sal, pimenta e um bocadinho de noz moscada. Retire do lume e deixe arrefecer.
Para a massa coloque a água, sal e azeite num tacho e deixe levantar fervura. Assim que levantar fervura misture a farinha, de uma vez só e sem parar de  mexer energicamente com a colher de pau até a mistura se despegar das paredes do tacho e formar uma espécie de bola e de massa uniforme. Retire depois a massa para a bancada da cozinha e deixe arrefecer um pouco até que a consiga trabalhar com as mãos. Amasse um pouco até obter uma massa lisa e macia e que não se cola nem às mãos, nem à bancada.
Estique depois a massa com um rolo de cozinha até ficar fina, mas não em demasia para os rissois não rebentarem ao fritar -  (há quem o faça com a máquina de esticar massa fresca, mas só vale a apena quando se faz uma grande quantidade de rissois). Coloque depois uma colher de recheio na massa e dobre-a sobre a restante massa, cortando depois com a ajuda de um copo ou de um utensílio próprio, de modo a obter o tradicional rissol. Repita até esgotar todos os ingredientes. (Poderá amassar e voltar a esticar a massa quantas vezes as necessárias.)
Depois de os rissois todos preparados, passe-os por ovo batido e finalmente por pão ralado, colocando-os sobre papel vegetal. 
Neste ponto poderá congelar os rissois para os ter sempre à mão - e fritar diretamente do congelador- ou fritar em óleo ou azeite quente até ficarem dourados. Em alternativa poderá ainda fazê-los no forno. Coloque-os numa só camada num tabuleiro forrado com papel vegetal e “borrife-os” com um pouco de azeite em spray. Leve ao forno previamente aquecido a 180ºC cm ventilação e deixe cozinhar - virando-os a meio do tempo - cerca de 20 minutos.


Bom Apetite!

Entrecosto no Forno com Massa de Pimentão e Alecrim (e a família a crescer)


Ter 3 filhos sempre foi uma vontade, um sonho, um desejo nosso. Passamos por várias fases, (que já aqui falei algumas vezes) com a dificuldade em engravidar do Zé Maria, e o processo que demorou 5 anos e 3 FIV´s. A alegria da descoberta da gravidez do António, numa altura em que nos preparávamos para iniciar um novo tratamento. E depois... ter 3 filhos sempre tinha sido uma vontade, um desejo e um sonho que cada vez mais nos parecia que podia ser possível. Decidimos deixar nas “mãos de Deus”. Que se tivesse de vir vinha, mas sem recorrer a tratamentos de fertilidade, porque não queríamos voltar a passar por isso, e porque já tínhamos dois filhos maravilhosos, e se não tivéssemos de ter mais nenhum, também ficaríamos bem assim...
Mas quis a vida, Deus, o destino, e a nossa vontade que este terceiro bebé viesse. E assim, chegámos às 19 semanas (já estamos a meio da gravidez!), e mesmo com alguns sustos e momentos difíceis à mistura, não podíamos estar mais felizes em poder partilhar esta novidade, sendo que a minha barriga já não conseguia esconder a novidade de ninguém!
A todos os que nos deram os parabéns e nos desejaram as felicidades via instagram e facebook, muito, muito obrigada. Do fundo do coração, agradeço as vossas palavras!
E um assado reconfortante e saboroso para começar esta semana!

E não se esqueçam do workshop no Porto, já esta sábado! . Nos Workshops Pop Up, na Rua do Almada, dia 16 de Setembro, Sábado, pelas 15h, e com o tema “Receitas Rápidas e Fáceis para Jantares em Família”. Para mais informações e inscrições: info@workshops-popup.com.

Ingredientes para 4 pessoas:

1,2 kg de entrecosto (peça no talho para lhe darem uns golpes para depois ser mais fácil de cortar e servir)
1 colher de sopa bem cheia de massa de pimentão
sal e pimenta q.b.
4 dentes de alho
2 raminhos de alecrim fresco
150ml de vinho branco

Preparação:

Coloque o entrecosto num pirex ou tabuleiro que vá ao forno e à mesa e tempere com sal e pimenta. Junte depois a massa de pimentão e espalhe bem sobre toda a carne. Lamine grosseiramente os dentes de alho e junte à carne, assim como os raminhos de alecrim. Regue depois com o vinho branco e leve e tape com papel de alumínio.
Leve ao forno pré aquecido a 160ºC durante cerca de 1h30. Ao fim desse tempo retire o papel de alumínio, e aumente a temperatura do forno para 180ºC para que toste um pouco, durante mais 30 minutos.
Sirva depois cortado em pedaços e acompanhe com migas ou feijão verde cozido, e umas batatinhas assadas.


Bom Apetite!

Canelones de Requeijão e Espinafres


Em vésperas de fim de semana devia haver um bolo ou uma sobremesa... mas desta vez não. Não pue não me esteja a apetecer fazer um bolo - que certamente vai sair hoje - mas porque, por esta ou aquela circunstância acabou por não sair.... Porque os últimos dias, entre aniversários e trocas e baldrocas e oficinas com o nosso carro, andamos por aí numa “correria” de final de dia, que só veio “agravar” os finais de dias atribulados, como são, normalmente todos com crianças pequenas.
Sendo assim, sai uma sugestão  - sem carne nem peixe - para um jantar ou almoço da semana. Ainda que me digam que não está tempo para forno, que está calor, que ainda apetece saladas... Eu por mim estou mais do que preparada para me despedir do verão e começar a suspirar pelo outono. E esta receita, a mim, lembra-me o outono.
A clássica combinação de espinafres e requeijão (que por acaso eu tinha congelado) para rechear massa - seja canelones, lasanha ou até ravioli, nunca nos deixa ficar mal.
Pode ser que tenham vontade de a experimentar este fim de semana!

Aproveito para anunciar que vou voltar ao Porto para mais um Workshop. Nos Workshops Pop Up, na Rua do Almada, dia 16 de Setembro, Sábado, pelas 15h, e com o tema “Receitas Rápidas e Fáceis para Jantares em Família”. Para mais informações e inscrições: info@workshops-popup.com.


Ingredientes para 3 pessoas:

12 tubos de massa para canelones (usei massa seca que não necessita de pré cozedura)
1 requeijão de Seia (requeijão de ovelha, com cerca de 250g)
300g de espinafres (usei congelados)
azeite q.b.
2 dentes de alho
sal e pimenta q.b.
noz moscada q.b.

Para o bechamel:
500ml de leite
40g de farinha
25g de manteiga
sal, pimenta e noz moscada q.b.

Preparação:

Comece por preparar o recheio de espinafres e requeijão. Descasque e pique finamente os dentes de alho. Leve uma frigideira ao lume, junte os dentes de alho e um pouco de azeite e acrescente depois os espinafres (no meu caso juntei congelados) e deixe-os cozinhar (e descongelar) durante cerca de 10 minutos. Assim que os espinafres estejam cozinhados, junte o requeijão grosseiramente esfarelados com as mãos, envolva bem e retifique de sal, pimenta e noz moscada. Deixe arrefecer (Pode também fazer o recheio com um ou dois dias de antecedência e guardar no frigorífico numa caixa hermética). Assim que conseguir, recheie os tubos de canelones com a mistura de requeijão e espinafres.
Entretanto prepare o bechamel. Leve um tacho ao lume com a manteiga e deixe derreter. Acrescente depois a farinha e mexa bem, até obter uma espécie de massa, e deixe a farinha cozinhar um bocadinho (atenção para não queimar). Junte depois o leite, aos poucos e poucos, sem parar de mexer, de modo a que se vá misturando com a farinha e para fazer um molho, deixando engrossar. Se ganhar grumos, passe com a varinha mágica. Tempere depois com sal, pimenta e noz moscada. Reserve..
No fundo de um tabuleiro que vá ao forno e à mesa coloque um pouco de molho bechamel - cerca de 1/3 do molho, e por cima deste disponha os canelones. Cubra com o molho bechamel e tape bem com papel de alumínio. Leve ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 35 minutos. Ao fim desse tempo retire o papel de alumínio e deixe dourar a superfície, ligando o grill do seu forno.
Sirva com uma salada verde.


Bom Apetite!

Perninhas de Peru no Forno à Médio Oriente


Mais uma receita de forno. Mais uma receita prática para os jantares da semana, com a vantagem de poder ser feito a mais, e de as sobras, depois de desfiadas, serem ideiais para fazer uma lasanha, uns crepes, uns canelones ou até um peru à Brás.
A diferença está nas especiarias usadas. o ras-el-hanout dá-lhe um toque exótica que cá em casa gostamos muito, e transforma o tardicional assado em algo que parece muito mais especial.
Coisas simples que por vezes parecem mais elaboradas - e com a vantagem de não termos de fazer quase nada, porque o forno faz o jantar quase sozinho.

Aproveito para anunciar que vou voltar ao Porto para mais um Workshop. Nos Workshops Pop Up, na Rua do Almada, dia 16 de Setembro, Sábado, pelas 15h, e com o tema “Receitas Rápidas e Fáceis para Jantares em Família”. Para mais informações e inscrições: info@workshops-popup.com.


Ingredientes para 4 pessoas (com sobras):

4 perninhas de peru
sal e pimenta q.b.
1 cebola roxa
1 colher de sopa bem cheia de Ras-el-Hanout (mistura de especiarias marroquinas)
150ml de vinho branco

Preparação:

Coloque as perninhas de peru num tabuleiro que vá ao forno e tempere com sal, pimenta e com o ras-el-hanout.  Descasque a cebola e corte-a em rodelas finas e coloque sobre as pernas de peru. Regue depois com o vinho branco.
Tape o tabuleiro com papel de alumínio e leve ao forno previamente aquecido a 180ºC durante cerca de 1h30 até que a carne esteja cozinhada. Retire depois o papel de alumínio e deixe alourar um pouco para que fiquem com uma cor mais dourada.
Acompanhe com batata assada e uma salada verde.

Bom Apetite!

Pregado com Oregãos à Moda da Filipa


Na minha última ida às compras, na banca do peixe, fiquei a olhar para o pregado. Não é um peixe que compre com muita frequência mas estava bastante curiosa de experimentar a receita que tinha visto no instagram da querida Filipa Gomes, e portanto trouxe-o comigo.
A receita é bastante simples de preparar, e tal como diz a Filipa perfeita para os jantares rápidos da semana. E por aqui gostamos bastante deste peixe desta versão.
Espero que gostem também!

Aproveito para anunciar que vou voltar ao Porto para mais um Workshop. Nos Workshops Pop Up, na Rua do Almada, dia 16 de Setembro, Sábado, pelas 15h, e com o tema “Receitas Rápidas e Fáceis para Jantares em Família”. Para mais informações e inscrições: info@workshops-popup.com. 

Ingredientes para4 pessoas:

 pregado com cortado em pedaços (usei 2 pregados com cerca de 800g cada)
sal e pimenta q.b.
azeite q.b.
oregãos secos q.b.

Preparação:

Coloque o pregado cortado em pedaços num tabuleiro que vá ao forno e tempere com sal, pimenta e os oregãos secos a gosto. Regue depois generosamente com o azeite e leve ao forno previamente aquecido a 180ºC cerca de 35 minutos.
Sirva depois acompanhado com uns brócolos salteados com alho e azeite e umas batatinhas novas cozidas.


Bom Apetite!

Borrego no Churrasco com Molho de Coentros e Alho



Apesar de não ser do agrado de todos, eu cresci a comer borrego (e também cabrito), e confesso que gosto bastante e é uma boa forma de variar das carnes mais consensuais e habituais. Ainda que não comendo com a frequência de outras carnes, o borrego aparece com regularidade à nossa mesa. Além dos assados e dos ensopados e das caldeiradas... borrego grelhado faz parte das nossas preferências.
Este, com um fantástico molho de coentros e alho foi o nosso delicioso almoço de domingo.

(E para quem me tem enviado mails a perguntar se os meus filhos comem petinga frita, cavalas alimadas, crepes de frango, polvo à lagareiro... respondo que sim. Gostam e comem. E há dias em que repetem. E também gostam de borrego!)

Ingredientes para 2 pessoas:

600g de borrego com osso, partido em pedaços pequenos
Sal q.b.
1 molhinho de coentros
75ml de azeite
30ml de vinagre de vinho branco
2 dentes de alho grandes

Preparação:

Tempere os pedaços de borrego de sal e leve a grelhar nas brasas bem quentes até que a gordura derreta e o borrego fiquem bem cozinhado. (Se não tem como fazer brasas, pode sempre grelhar no fogão ou em alternativa, e não sendo a mesma coisa, “grelhar” sobre uma grelha para escorrer a gordura, no forno)
Entretanto prepare o molho. Pique finamente os coentros e os dentes de alho e coloque-os numa taça, onde depois caiba o borrego depois de grelhado. Junte depois o azeite e o vinagre e tempere com um pouco de sal a gosto. Misture bem com a ajuda de um garfo e prove, ajustando depois os sabores. À medida que o borrego vai ficando grelhado, coloque-o na taça com o molho e envolva bem.
Sirva com batatinhas cozidas ou salteadas e uma salada verde.


Bom Apetite!

Arroz de Tomate, Pimento e Coentros com Petinga Frita


Dia de retomar rotinas. O início da escola e da nossa vida com (novamente) mais regras e horários. Já se sabe que os primeiros dias vão ser mais complicados, mas sei que em breve tudo voltará ao normal.
Por aqui o fim de semana foi produtivo, talvez influenciado por esta “tendência” de Setembro como mês de recomeços e de iniciar novas coisas. Aproveitamos para fazer algumas coisas aqui por casa que estavam pendentes, e o resultado foi melhor do que o esperado.
Quando a receitas, fizemos alguns clássicos que ficam sempre bem, como este maravilhoso arroz de tomate com petinga frita!
Boa semana a todos. E bons recomeços!

Ingredientes para 3 pessoas:

1 tomate maduro (tamanho médio)
1 colher de sobremesa de polpa de tomate
1/2 pimento vermelho pequeno
1 cebola pequena
1 molhinho de coentros frescos
1 folha de louro
azeite q.b.
sal e pimenta q.b.
1 chávena de arroz

500g de petinga amanhada
sal q.b.
farinha de milho q.b.
azeite ou óleo para fritar

Preparação:

Pique a cebola e leve-ao ao lume, num tacho, com um pouco de azeite e o louro, deixando refogar alguns minutos. Acrescente depois o tomate também picado, a polpa de tomate e o pimento em cubinhos e deixe refogar mais uns minutos. Acrescente o triplo de quantidade de arroz (neste caso 3 chávenas para um arroz malandrinho) e retifique de sal e pimenta. Assim que levantar fervura acrescente o arroz, reduza para o mínimo, mexa  e tape, até que o arroz esteja cozinhado.
Entretanto tempere a petinga com sal. Leve uma frigideira ao lume com azeite (ou se preferir óleo). Passe as petingas por farinha de milho e frite-as em óleo quente até que fiquem douradas. Escorra em papel absorvente.
Sirva o arroz acabado de fazer e bem polvilhados com os coentros frescos acompanhado com as petingas fritas e uma salada de alface.


Bom Apetite!

Imprimir